Atividades Formativas

Todas as atividades formativas são gratuitas, on-line e com emissão de certificado de participação.

As vagas são limitadas e você pode cancelar sua inscrição em qualquer momento.

Caso você tenha se inscrito na atividade formativa, mas não possa comparecer, efetue o cancelamento o quanto antes, para que a vaga possa ser disponibilizada para outra pessoa interessada.

Atenção: Para participar das atividades formativas é necessário realizar cadastro.

  1. Crie uma conta no https://www.even3.com.br/cadastro/
  2. Vá em “Encontrar e participar de um evento” e busque por “5º Santos Film Fest –  Atividades Formativas”.
  3. Na página do evento no alto a direita selecione “Login” e depois em “Realizar inscrição” no evento.
  4. Preencha as informações solicitadas e clique em “Continuar”.
  5. Conclua a inscrição.
  6. Após a confirmação da inscrição, acesse a aba “Programação”  e escolha todas as atividades formativas que deseja participar clicando em “Realizar Inscrição”.
  7. No “Carrinho de Compras” apareceram todas as atividades nas quais você se inscreveu.
  8. Finalize a compra.
  9. E pronto! Você está inscrito nas atividades formativas e receberá um e-mail de confirmação.
  10. Na data da atividade você receberá o link para acessar o bate-papo ou a sala de videoconferência. Bons Estudos!

Para se inscrever e outras informações acesse: https://www.even3.com.br/SantosFilmFest2020

Confira nossa programação completa clicando neste link

Bate-papos

Abertura do 5° Santos Film Fest –  Festival Internacional de Cinema de Santos e Masterclass com Paulo Betti, Sérgio Rezende e Jula Katharine. Com participação de Ondina Clais e Luciano Quirino.

Idade Mínima: Livre

Ao vivo – aberto ao público nas redes sociais do festival

Dias: 29/09

Das 20h às 22h30

Julia Katharine

Atriz/Diretora/Roteirista

Atriz, roteirista e cineasta. Sua carreira conta com uma série de premiações, graças a sensibilidade, talento e visão da artista. Em 2018, recebeu o premio Helena Ignez por sua atuação no filme “Lembro Mais dos Corvos”, onde fala sobre sua vida e sua trajetória.

Luciano Quirino

Ator

Com mais de 30 anos de carreira, o ator vem transitando em diversos veículos, exercitando várias linguagens. Foi protagonista da série de sucesso “9mm”, produzido pela Fox. O curta “Os Bons Parceiros”, baseado em uma historia e Plínio Marcos, rompeu fronteiras e foi selecionado e exibido no famoso festival de Cannes, na França. Atuou no curta “Eu preciso dessas palavras escrita”, interpretando com maestria a vida de uma dos artistas brasileiros mais emblemáticos : o bispo do Rosário. Na TV, a personagem Ptolomeu da série “DPA – Detetives do Prédio Azul” é um sucesso entre os baixinhos. No teatro, em 2016 foi um dos protagonistas de “Race”, de David Mamet, onde discutia racismo e violência sexual. O espetáculo foi sucesso de público e crítica e, como não poderia deixar de ser, o ator foi bastante elogiado pelo seu trabalho nos palcos.

Ondina Clais

Atriz

Aos 15 anos iniciou sua como bailarina clássica, na Ópera “O Guarani“, de Carlos Gomes. Atuou como modelo para revistas nacionais e estrangeiras. Aos 20 anos, inicia a carreira de atriz, juntando-se ao Grupo Macunaíma, do diretor teatral Antunes Filho, nas montagens “Nova Velha História“, “Paraíso Zona Norte” e “Toda Nudez Será Castigada“, de Nelson Rodrigues. Em 2013, protagoniza a peça “A Dama do Mar”, de Henrik Ibsen, na primeira montagem do diretor norte-americano Bob Wilson. Foi indicada para o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante de 2013, pela Revista Aplausos. Atualmente atua na televisão e o cinema, participando da Terceira Temporada da “Série Sessão de Terapia”, no canal GNT, e da Primeira Temporada de “O Hipnotizador“, na HBO. No cinema, atuou em “Meu Amigo Hindu“, de Hector Babenco e “O Filme da Minha Vida“, do diretor Selton Mello. Seus dois últimos filmes são “Rio-Santos“, do diretor Klaus Mitteldorf, e “João“, filme que retrata a história do pianista João Carlos Martins.

Paulo Betti

Ator/Diretor/Roteirista

Formou-se pela Escola de Arte Dramática na década de 1970. Voltou-se principalmente ao teatro e ao cinema, onde participou de produções elogiadas pela crítica especializada, como Guerra de Canudos (1997) e Mauá (1999). Dedicou-se paralelamente à televisão, trabalhando em diversas novelas da TV Globo. Possui extensa carreira em produções cinematográficas nacionais. Alguns destaques são: participou de produções elogiadas pela crítica especializada, como Guerra de Canudos (1997) e Mauá (1999). Lamarca (1995), Cafundó (2004) e A Fera Na Selva (2017).

Sergio Rezende. Foto: Maria Rezende.

Sérgio Rezende

Diretor

Já em seu primeiro longa, “Até a Última Gota” (1980,)  recebeu o Premio Especial do júri no festival de Gramado e o premio de melhor documentário no festival de Manhein na Alemanha, além de uma menção honrosa no Festival de Havana. Seguiu com suas premiações em importantes festivais com seus filmes “O Sonho Não Acabou” e “O Homem da Capa Preta“, que conta a história de Tenório Cavalcanti, famoso advogado e político brasileiro. Este longa iniciaria uma trilogia de importantes figuras brasileiras, completada com “Lamarca“, filme sobre o revolucionário Carlos Lamarca, que foi o único filme gravado naquele ano, e foi um dos precursores do movimento conhecido como Retomada do Cinema Nacional, e encerrando com “Mauá – O Imperador” e o “Rei”, que narra a vida de Irineu Evangelista de Sousa, o Visconde de Mauá. Sua carreira atinge um novo patamar em 1997, com a direção de “Guerra de Canudos”, considerada a maior produção brasileira até então, além de receber a maior bilheteria no cinema brasileiro naquele ano. Sua filmografia segue impecável, com grandes obras como “Zuzu Angel” (2006) e “Salve Geral” (2009), recebendo premiações no Brasil e em festivais internacionais.

Bate-papo com realizadores 

Idade Mínima: Livre

Ao vivo – aberto ao público nas redes sociais do festival

Dias: 01/02/03/04/05/06 de outubro

Das 10h às 12h

 

Bate-papo Relato histórico da Retomada do cinema brasileiro.

Com Waldemar Lopes

A Oficina é sobre a retomada do cinema nacional nos meados dos anos 90. Serão comentados os filmes daquela época e sua importância nesse momento histórico, como “Carlota Joaquina – Princesa do Brazil“, “Tieta do Agreste“, “Lamarca” e “Central do Brasil”

Idade Mínima: Livre

Ao vivo – aberto ao público nas redes sociais do festival

Dia: 03/10

Horário: 15h às 18h

Waldemar Lopes

Crítico de Cinema

Artista plástico, professor e crítico de cinema. Anualmente realiza em Santos uma palestra beneficente sobre o Oscar,  que se tornou tradicional na cidade – já foram 26 edições. Também já realizou encontros sobre cinema para a  Universidade Católica de Santos, Universidade Monte Serrat, Secretaria de Cultura de Santos e Rotary. Escreve para o  CineZen e o 50 Anos de Cinema. Cedeu seus acervos pessoais para exposições no Santos Film Fest – Festival  Internacional de Cinema de Santos sobre Julie Andrews e Sonia Braga, atrizes das quais é o maior especialista no Brasil.  Em 2019 lançou o uma coletânea de textos sobre grandes interpretações do cinema brasileiro. Ainda no Santos Film  Fest, em 2018, realizou oficina sobre a histórias dos filmes musicais.

Bate-papo Atuação para iniciantes, dicas práticas.

Com Ondina Clais e Luciano Quirino

Idade Mínima: Livre

Ao vivo – aberto ao público nas redes sociais do festival

Dia: 05/10

Horário: 13h às 15h

 

Workshops

Direção de Arte no Cinema Brasileiro – Antes, Hoje e..

Com Audrey Duarte 

O aluno aprenderá sobre o papel da Direção de Arte no cinema, as fases de produção, a equipe de arte. Depois, as matérias da Direção de Arte (Cenografia, Figurino, Maquiagem, Efeitos Especiais). Por fim, falaremos sobre o que é o Diretor de Arte. Como parte prática, o aluno reproduzirá um cenário conforme tema a ser conversado e explicado somente durante a Oficina (tema surpresa).

Idade Mínima: 18 Anos

Não há necessidade de conhecimento prévio

Material/Equipamento para participação:papel sulfite, tesoura, cola, revistas de moda e decoração.

20 vagas

Dia: 30 de setembro

Horário: 15h às 18h 

Audrey Duarte

Professora

Doutora em Comunicação Social pela Universidade Metodista – SP (UMESP). Mestre em Gestão de Negócios pela Universidade Católica de Santos – Unisantos. É bacharel em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda (Unisantos). Na Unisanta é docente da FaAC – Faculdade de Comunicações e Artes, onde ministra aulas de “Relações de Mercado”, “Relações de Consumo” e “Linguagem Publicitária” para o curso de Publicidade e Propaganda e aulas de “Design Thinking” para o curso de Produção em Multimídia.  Tem vasta experiência como profissional de mercado na área de Comunicação (desde 1989) com ênfase em Design, Marketing Estratégico e Criação Publicitária. Atua principalmente nos seguintes temas: design, branding/marketing e tecnologia. É consultora em comunicação, gestão e design de marcas.

Introdução à trilha musical e sonora de filmes em casa

Com Mário Tirolli e Jota Amaral

O som e a música fazem parte e contribuem para cada cena de um filme, ajudando a desenvolver a narrativa e/ou ampliando a narrativa interior de um personagem. E compreender sua importância na produção audiovisual é fundamental para a realização de um bom trabalho. Através de aulas teóricas explicativas ao vivo, exercícios práticos e discussões ao vivo com os professores por videoconferência, o participante apreenderá sobre a teoria de base da trilha musical e trilha sonora. Ao final, em uma atividade prática, será criada a trilha e musical para a cena de um filme.

Idade Mínima: 16 Anos

Não há  necessidade de conhecimento prévio

Material/Equipamento para participação: 

20 vagas

Dias: 01 e 02 de outubro

Horários: 14h às 18h 

Mário Tirolli

Pianista, tecladista, arranjador, regente, compositor e cantor

Bacharel em Música Popular na UNICAMP, piano erudito pelo Conservatório Musical de Santos e Regência pelo Conservatório Municipal de Cubatão. Tem em seu currículo 35 anos atuando como músico profissional. Sua principal atividade atual é a direção do GRUPO TIROLLI,. Estudou Trilhas Sonoras com Ney Carrasco e desenvolveu trabalhos de trilha sonora com música associada à imagem nas peças “Geração Trianon”, direção Neyde Veneziano (1999), encenação do Auto de Natal de Santos (2003, 2004, 2006 e 2008) “A Lei e o Rei” (2005), “O Recital de Sofia” (2006), “Ensaio para Anne”, com Elaine Lopes (2007), escreve arranjos para a Orquestra de Metais de Cubatão para o Mega Evento “Anime Friends” (2016, 2017 e 2019), compõe as músicas e trilha sonora da peça de teatro “Procurando Firme”, sob direção de Renata Zhaneta.

Jota Amaral

Músico

Iniciou na música em meados de 94, através da bateria. Suas primeiras bandas faziam covers de artistas renomados do blues e do rock. Mais tarde Jota foi desenvolvendo suas habilidades em outros setores da música, como produção e gravação, onde pode experienciar toda riqueza de ritmos brasileiros e estrangeiros. Também desenvolve pesquisa em sonoridades LoFi, onde busca a harmonia perfeita entre instrumentos eletrônicos e orgânicos. Entre seu kit de instrumentos é possível perceber um aparato tecnológico junto com tambores e instrumentos de corda. Foi responsável pelo espaço Lobo Estúdio que atuou na área cultural há mais de 18 anos. Com diversos trabalhos desenvolvidos para publicidade, cinema e fotografia, Jota ainda promoveu festivais de bandas e ainda hoje ministra cursos sazonais com temáticas em trilha sonora e desenho de som. Em 2012 fundou o Coletivo Teremin para produção de trilhas sonoras, com trabalhos já realizados para produtoras locais e da Capital, como o Instituto Quero^ e Aurora Filmes. Atuou em composições de trilhas e desenho de som além de ministrar workshops “A Grande Viagem” (2017) – Série exibida pela TV Brasil Tempo .”É Morfina” (2014) – Curta metragem.

Criação e pesquisa para documentários

Com Angela Zoé, Rita Marques. Elas Marcos Souza 

Workshop falará do processo de criação de um documentário, seus elementos principais de pesquisa e posterior licenciamento dos conteúdos para uso na produção.

Idade Mínima: 16 anos

Não há  necessidade de conhecimento prévio

Não é necessário Material/Equipamento para participação

20 vagas

Dia: 04/10

Horário: 15h às 18h

Angela Zoé

Diretora e Diretora

É roteirista e diretora na Documenta Filmes, tendo dentre seus trabalhos, os premiados documentários “Henfil” (2018) e “Meu Nome é Jacque” (2016). Foi dela o argumento e a produção executiva de “Betinho – A Esperança Equilibrista“(Dirigido Victor Lopes, 2015) e o telefime “Ele era Assim: Ary Barroso”  (2019). Sua produção mais recente é o longa “O Samba É Primo do Jazz”  (estreia 48º Festival de Gramado 2020), uma cinebiografia sobre a cantora Alcione.

Rita Marques

Consultora

Foi gerente geral do Centro de Documentação – CEDOC da TV GLOBO, onde colaborou com a pesquisa audiovisual para centenas de programas jornalísticos e séries de ficção, além da estreia da GloboNews em 1996. Também participou da criação e pesquisa do “Arquivo N” há 23 anos no ranking dos mais vistos da TV por assinatura.
Hoje é responsável pela empresa de preservação, pesquisa audiovisual e curadoria de acervos “Garimpo“, prestando consultoria para a TV Cultura, onde também faz a representação no Comitê Executivo da Federação Internacional dos Arquivos de Televisão – FIAT / IFTA.
Em parceria com a Documenta Filmes, colaborou na pesquisa dos filmes “Betinho – A Espereça Equilibrista” ”, “Henfil” e “O Samba é Primo do Jazz ”.

Marcos Souza

Compositor

Compositor de música para audiovisual e pianista, Marcos Souza produziu e idealizou o filme sobre sua família, seu pai Chico Mário e seus tios “Henfi” , “Betinho” e “3 Irmãos de Sangue”. Fez a direção musical do filme “Betinho – A esperança equilibrista” de Victor Lopez pela Documenta Filmes em 2015 e compôs a música para os filmes “Henfil” de Ângela Zoé e Angel Vianna de Cristina Leal, além de mais de 20 filmes. Foi Gerente de Produtos de rádio

O Documentário como Expressão 

Com Andrea Pasquini 

Nunca tantas imagens foram produzidas e compartilhadas como hoje. Uma simples câmera num telefone celular se tornou uma poderosa ferramenta de registro audiovisual. O objetivo do workshop é introduzir o participante ao documentário e convidá-lo a olhar sua produção audiovisual como expressão subjetiva, como um instrumento de expressão de ideias, sedimentação de memórias e canal de comunicação, além de compreender o cotidiano e a cidade/espaço geográfico como fonte de temas/assuntos para a criação de narrativas documentais.

Idade Mínima: 16 Anos

Não há  necessidade de conhecimento prévio

Não é necessário Material/Equipamento para participação

20 vagas

Dia: 05/10

Data: 15h às 18h

Andrea Pasquini

Diretora

Cineasta e há 25 anos dirige e produz filmes e conteúdo audiovisual. Realizou entre outros, o premiado curta-metragem “A História Real” (2001) e os documentários “Os Melhores Anos de Nossas Vidas’”(premiado no Festival Internacional de Documentários É Tudo Verdade, 2003), ‘Sempre no “Meu Coração” (premiado pelo concurso DocTV de 2006), “Fiel’”(finalista no Prêmio Sesi Cinema de 2009) e “Homem Centenário’”(2010). Além de realizadora, ministra cursos de documentário e faz curadoria para diversos festivais.

Marketing do Audiovisual

Com Audrey Duarte

O aluno aprenderá sobre as questões mercadológicas que envolvem um produto audiovisual e também técnicas que permitem a análise de mercado e o planejamento estratégico para que o produto audiovisual seja posicionado e conhecido pelo público-alvo, dando a ele a condição de lançamento e sustentação conforme os objetivos de quem o criou/produziu.

Idade Mínima: 18 Anos

Não há  necessidade de conhecimento prévio

Material/Equipamento para participação: papel sulfite, caneta e calculadora (cálculos simples – pode ser até a calculadora do aparelho celular.

20 vagas

Dia: 06 de outubro

Horário: 15h às 18h

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: