Homenageados 2017

LUCIANO QUIRINO

O ator Luciano Quirino está completando 30 anos de carreira. Nesses 30 anos de carreira, vem transitando em diversos veículos, exercitando varias linguagens. Foi protagonista da série de sucesso “9mm”, produzido pela Fox.

O curta “Os Bons Parceiros”, baseado em uma historia e Plinio Marcos, rompeu fronteiras e foi selecionado e exibido no famoso festival de Cannes, na França. Recentemente, o ator rodou o curta “Eu preciso dessas palavras escritas”, interpretando com maestria a vida de uma dos artistas brasileiros mais emblemáticos : o bispo do Rosário.

Na TV, a personagem Ptolomeu da série DPA é um sucesso entre os baixinhos. O sucesso é tanto que o ator está rodando a nona e decima temporada da serie que é a menina dos olhos do Canal Gloob, da Globosat. Na serie televisiva DPA – Detetives do Prédio Azul, Luciano é o pai de Bento ( Anderson Lima). Essa convivência com o universo infantil tem sido muito gratificante para o ator.

O teatro também o absorveu. Ano passado, foi um dos protagonistas de Race de David Mamet, onde discutia racismo e violência sexual. O espetáculo foi sucesso de público e critica e como não poderia deixar de ser, o ator foi bastante elogiado pelo seu trabalho nos palcos.

E é pelo conjunto de toda obra do artista, que o Santos Film Fest, resolveu abrir a sua 2ª edição, homenageando este artista santista, perseverante na arte de representar, considerado uma referencia para jovens.

Seja bem vindo e muito obrigado, Luciano Quirino.

 

ONDINA CLAIS

A atriz paulistana Ondina Clais tem se destacado nos palcos, nas telonas e telinhas. Aos 15 anos, iniciou no balé clássico, atuando na Ópera “O Guarani”, de Carlos Gomes, regida pelo maestro Benito Juarez. Depois, passou a estampar a capa de diversas revistas nacionais e estrangeiras.

Aos 20 anos começou a carreira de atriz, juntando-se ao Grupo Macunaíma, do diretor teatral Antunes Filho, no qual encena diversas montagens como “Nova Velha História”, “Paraíso Zona Norte” e “Toda Nudez Será Castigada”, de Nelson Rodrigues, quando interpretou a protagonista Geni. Três anos depois foi morar residiu no Japão. Na Terra do Sol Nascente foi aluna dos mestres Kazuo Ohno e Yoshito Ohno. Em 2013, estrelou a peça “A Dama do Mar”, de Henrik Ibsen, na primeira montagem do renomado diretor norte-americano Bob Wilson no Brasil com atores brasileiros. O espetáculo estreou no Sesc Santos. Pelo trabalho recebeu elogios da crítica especializada e indicada ao prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante de 2013, pela Revista Aplauso.

Participou da Terceira Temporada da Série Sessão de Terapia, no canal GNT, e da Primeira Temporada de “O Hipnotizador”, na HBO. No cinema, integrou o elenco de “Meu Amigo Hindu”, de Hector Babenco, com o ator norte-americano Willem Dafoe. Este é destaque em “O Filme da Minha Vida”, do diretor Selton Mello, atuando ao lado do francês Vincent Cassel, e João, o Maestro, cinebiografia do maestro João Carlos Martins.

Em breve estreará “Rio-Santos”, do diretor Klaus Mitteldorf. Está na série “A Vida Secreta dos Casais”, dirigida por Kim Riccelli e Carlos Alberto Riccelli e escrita por Bruna Lombardi, em exibição na HBO. Ondina mantém uma íntima relação com Santos. Seus pais escolheram a cidade para viver. Seu avô trabalhou na Bolsa do Café e morava de segunda a sexta no município.

Por sua trajetória ímpar e a carreira versátil se destacando em diferentes artes, ela é homenageada desta 2º edição do Santos Film Fest.

Bem vinda Ondina Clais!

VÍDEO PARADISO

 

Mudança do VHS para o DVD. TV a cabo. Recentemente, a chegada do Blu-ray. Pirataria. Altos e baixos de um mercado cada vez mais difícil para as locadoras. Imagine manter, na atualidade, um acervo com mais de 20 mil títulos, entre Blu-rays, DVDs e fitas VHS, de todos os gêneros, países variados, épocas diversas, e fora da capital. Por isso, é preciso comemorar a continuidade da Vídeo Paradiso, inaugurada em 1991 pelo casal Marcelo Rosendo Datoguêa e Rosana Castro.

O nome da vídeolocadora traduz a essência do local: é o paraíso para todo cinéfilo que se preze. Não é somente o acervo variado e extenso a chamar atenção. Tantos os proprietários, como os funcionários, conhecem o material que detém. Basta uma rápida conversa para descobrirmos um filme que pode ser da Grécia, da Turquia, da Coreia ou uma produção nacional. As vezes a conversa tende a se estender. E acabamos virando amigos de cinefilia.

Trata-se do tipo de empresa que transcende o âmbito comercial. Hoje, a Paradiso é uma instituição do audiovisual caiçara. Apoia projetos culturais de Santos, desde as Oficinas Querô, cujos curtas estão disponíveis para locação gratuita, a eventos do Cineclube Lanterna Mágica, do SESC, da Cinemateca de Santos, o Núcleo de Psicanálise da UniSantos, o Cine Comunidade, o Cineme-se, Curta Santos e, claro, o Santos Film Fest.

Sua locação, verdadeiro oásis para amantes da sétima arte, foi cenário para curtas-metragens. A locadora também é retratada no documentário longa-metragem “Cinemagia”, sobre as videolocadoras paulistas.

Por seus serviços prestados, pela resistência e o amor ao cinema que o 2º Santos Film Fest homenageia a Vídeo Paradiso!

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: