Ganhe os e-books gratuitos da Coleção Santos Film Fest

Adelia Sampaio: O Segredo da Rosa.

Rubens Ewald Filho: Vida de Cinema

História do Santos Film Fest

Desde sua primeira edição, o Santos Film Fest – Festival Internacional de Cinema de Santos tem como um de seus principais objetivos o resgate histórico e a preservação da memória cinematográfica, em especial, a do cinema nacional. “Afinal, para entendermos o presente e planejarmos o futuro, precisamos conhecer a fundo nosso passado”, afirma o criado do festival, André Azenha.

Exemplos são as exposições promovidas pelo festival, como aquelas em homenagem às atrizes Sonia Braga e Julie Andrews, reunindo o acervo pessoal do crítico de cinema e artista plástico Waldemar Lopes, Além da Cor da Pele, organizada por Lukinha Figueiredo e que escreveu textos em fotos do ator Luciano Quirino (padrinho do SFF), bem como a que levou ao público os itens pessoais do crítico santista Rubens Ewald Filho. Ou, ainda, duas sobre cultura pop: respectivamente sobre os 80 anos de Superman e Batman – esta última com mais de 3 mil visitantes.

E, ainda, em sessões de filmes clássicos ou cults, com destaque para: Oito e Meio, de Federico Fellini, exibido em versão 4K na sala 5 – de tela quase tamanho Imax – do Cine Roxy, os 40 anos de Dona Flor e Seus Dois Maridos, de Bruno Barreto, os 35 anos de Vitor ou Vitória? (1982, de Blake Edwards), Lamarca (1994, de Sérgio Rezende), Hair (1979, de Milos Forman), retrospectivas das cineastas Eliane Caffé, Agnés Varda, Angela Zoé, etc.  

Coleção Santos Film Fest

Coleção Santos Film Fest surgiu para complementar e expandir esse ideal: em 2018, publicou um livreto em formato autobiográfico do crítico santista Rubens Ewald Filho, homenageado daquela edição e, no ano seguinte, o livro Grandes Interpretações do Cinema Brasileiro, uma coletânea de artigos do crítico Waldemar Lopes sobre atuações memoráveis de astros e estrelas do nosso cinema.

A partir de 2021, essas publicações são atualizadas e reeditadas, pelo selo CineZen Edições Literárias, de André Azenha e Paula Azenha, em formato e-book gratuito disponível para download após cadastro no site do festival. Outros livros, que seguirão temas relacionados ao cinema brasileiro, ajudarão a construir a Coleção Santos Film Fest. Todos os livros terão tiragens limitadas de exemplares impressos, em formato pocket, o famoso livro de bolso, com 10 centímetros de largura por 15 centímetros de altura, que serão sorteados para quem se inscrever nas atividades formativas da edição especial online do festival e outros serão distribuídos gratuitamente para parceiros, apoiadores e membros da imprensa. “Nosso objetivo de democratizar o acesso à cultura, à história e à memória do cinema e incentivar a leitura passa pela ideia de facilitar que os livros sejam levados da maneira mais simples, no ônibus, no carro, a pé, no bolso. E eles cabem facilmente num bolso”, ressalta Azenha.

Primeiros livros gratuitos

Os primeiros e-books gratuitos podem ser adquiridos no site do festival.

São eles:

Adelia Sampaio: O Segredo da Rosa, de 126 páginas. Adelia Sampaio abriu caminhos, apontou direções, influenciou pessoas que enxergaram, nela, um espelho, uma representação. Como diretora, colocou os dedos nas feridas de uma sociedade desigual tal qual a nossa. No curta Denúncia Vazia (1979) mirou o abandono na terceira idade. Com o longa Amor Maldito expôs os preconceitos da sociedade, do sistema judiciário, ao mostrar o amor entre duas mulheres. Estas e suas demais obras contribuíram para um cinema brasileiro mais diversificado, engajado e representativo. O livro, de 126 páginas, foi registrado a partir de entrevista da diretora ao jornalista e diretor do Santos Film Fest, André Azenha. Adelia é a homenageada da edição especial online do festival em 2021. Nas últimas páginas há uma galeria de imagens do acervo pessoal da diretora.

Rubens Ewald Filho: Vida de Cinema! O texto a seguir é fruto de uma extensa entrevista realizada pelo nosso diretor, André Azenha, com Rubens Ewald Filho e foi concebida para o livreto biográfico lançado no 3º Santos Film Fest, em 2018, quando o crítico de cinema foi o grande homenageado do festival. Na abertura do evento, realizada em 29 de agosto na sala 5 do Cine Roxy. Em 152 páginas, Rubens, o crítico de cinema mais conhecido do país, relembra sua trajetória de vida, carreira e conta curiosidades, paixões. Há ainda uma crítica de seu filme favorito, Oito e Meio, de Federico Fellini, e seu primeiro texto analítico no jornal A Tribuna, de Santos, fornecidos pelo crítico. Ao fim do livro há uma galeria de imagens do acervo pessoal do crítico e de suas participações no festival e eventos do Cine Roxy.

História do Santos Film Fest. O Santos Film Fest presenteou a Baixada Santista com um festival internacional apresentando longas-metragens e sua maior edição foi em 2018, com mais de 100 filmes – pela primeira vez na região um festival teve programação tão extensa e ocupou tantos espaços. Com o Santos Film Fest, Santos integra o calendário internacional de festivais. Dessa maneira, registramos aqui a história do Santos Film Fest – Festival Internacional de Cinema de Santos, que teve início em 2014 e com um nome diferente. Acompanhe em 180 páginas a trajetória do mais importante festival de cinema do litoral paulista.

PRÓXIMOS LANÇAMENTOS

Grandes Interpretações do Cinema Brasileiro, de Waldemar Lopes. Compilação de textos do crítico de cinema, artista plástico e professor Waldemar Lopes. Profundo conhecedor do cinema brasileiro, com destaque para a estrela Sonia Braga, o autor envolve o leitor em 238 páginas de textos ao mesmo tempo gostosos de ler, informativos e profundos, traçando importante panorama de atuações épicas da própria Sonia, Darlene Glória, Fernanda Montenegro, Fernanda Torres, Rodrigo Santoro, Wagner Moura, Sérgio Mamberti, Bete Mendes, Nuno Leal Maia, entre outros. A versão impressa deste livro será vendida.  

Autobiografia da atriz Ondina Clais, madrinha do Santos Film Fest, que será lançada na sexta edição do festival, de 22 a 29 de junho de 2021. Detalhes em breve.

Sobre a CineZen Edições Literárias

Selo editorial criado por André Azenha em 2021 e coordenado por ele e Paula Azenha, com o objetivo de promover a leitura voltada ao cinema e às artes. O projeto consiste em livros de pequena tiragem e, além da Coleção Santos Film Fest, também publicará outros livros de André Azenha e outros autores. Ainda em 2021 devem ser lançados Tarzan: o Macaco Branco, livro feito a partir da dissertação de mestrado do Professor Celso Ronald, intitulada Macaco Branco na Selva Negra: A Eugenia Como Efeito Narrativo em Três Filmes de Tarzan e, ainda, Eles por Elas, Elas por Eles, de Waldemar Lopes, com artigos sobre atuações marcantes de atores e atrizes que interpretaram personagens do sexo oposto no cinema. Esses dois livros terão tamanho A5, o tradicional do mercado. Outro projeto é uma coletânea de artigos, críticas e ensaios chamada O Jornalismo Vai ao Cinema, que reunirá diversos jornalistas comentando filmes que retratam a profissão, dizendo o que procede mostrado na tela.

“Tenho estudado o ramo literário e a ideia de conceber o selo editorial foi, para além de poder publicar meus próprios projetos, poder impulsionar o sonho de colegas autores, já que o processo para a concretização do sonho de um livro é desgastante e, não raras vezes, oneroso. Como atualmente é possível imprimir livros por demanda, faremos assim a CineZen Edições Literárias. Por enquanto não receberemos originais. Publicaremos projetos que consideramos interessantes, de potencial literário e criativo e que se encaixem num perfil do público cinéfilo”, destaca André.

O editor

André Azenha, crítico de cinema, jornalista, produtor cultural, curador e pesquisador. Doutorando em Comunicação Audiovisual pela Universidade Anhembi Morumbi, onde concluiu o Mestrado. Editor dos sites www.historiasdocinema.com e www.cinezencultural.com.br  e do canal Histórias do Cinema no Youtube. Autor dos livros Histórias: Batman e Superman no Cinema (2016), Batman: A Série Animada – Uma Revolução dos Heróis na TV (2020, Amavisse), A Era dos Boçais (de poemas, independente, 2021) e de Poesia a Quatro Mãos (em parceria com Regina Azenha, independente, 2008). Tem artigos publicados em livros organizados pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema. Ao lado da esposa, Paula, dirige o Santos Film Fest – Festival Internacional de Cinema de Santos. Comenta sobre filmes para jornais, rádios e TVs. Ministra cursos e palestras sobre cinema e jornalismo cultural. Organizador da PalafitaCon, CulturalMente Santista, exposições sobre clássicos e artistas brasileiros e estrangeiros da sétima arte e da cultura geek. Defensor de iniciativas de democratização de acesso à cultura, realizou mais de 200 sessões de filmes seguidas de bate-papos em áreas vulneráveis de sua cidade natal.

O FESTIVAL

Realizado com sucesso em 2014 e 2015, ainda como Mostra Cine Brasil Cidadania, reunindo filmes de longa-metragem brasileiros contemporâneos inéditos na Baixada Santista, a partir de 2016, com a inclusão de produções estrangeiras e a necessidade de atender à demanda e aumentar a programação, passou a se chamar Santos Film Fest – Festival Internacional de Cinema de Santos.

Nestes cinco anos, exibiu cerca de 300 filmes, nacionais e internacionais, promoveu mais de 80 atividades formativas gratuitas entre bate-papos, oficinas e masterclasses, além de exposições e apresentações musicais com artistas regionais, envolvendo mais de 400 profissionais das mais diversas áreas culturais.

O Festival vem ressaltando a importância da representatividade, com filmes e presenças de artistas negros, LGBTQIA+, mulheres, e nesta edição especial, que acontece entre os dias 16 e 23 de março, dá protagonismo à presença das mulheres no mercado audiovisual.

Com o tema De Retomada à Retomada: Resistiremos!, a primeira edição online do Festival, em 2020, exibiu aproximadamente 70 filmes, através da plataforma de streaming Videocamp,  tornando-o um evento bem mais amplo, alcançando diversas cidades no Brasil e países como África do Sul, Alemanha, Argentina, Chile, Estados Unidos, Filipinas, Holanda, Itália, Irlanda, Irlanda, Japão, Portugal, entre outros.

SANTOS E O CINEMA

A relação da cidade com o cinema nasceu em 1897, com sua primeira exibição cinematográfica, e, a partir daí, os santistas se apaixonaram pelo cinema, chegando a ser a cidade com maior número de salas por habitante do Brasil nos anos 30, a famosa “Cinelândia” – hoje tem 22 salas comerciais e 5 públicas de cinema, além de cineclubes, projeto de cinema itinerante e cursos de graduação e pós-graduação em audiovisual.

Na Baixada Santista, importantes festivais pavimentaram o caminho, como o Festival de Guarujá, nos anos 70, e o Festival de Cinema Brasileiro de São Vicente, na virada do século. O Santos Film Fest presenteou a baixada com um festival internacional apresentando longas-metragens e sua maior edição foi em 2018, com mais de 100 filmes – pela primeira vez na região um festival apresentou programação tão extensa.

Santos Film Fest – Festival de Cinema de Santos – edição especial online tem produção do CineZen Cultural. O evento é dirigido pelos produtores André Azenha e Paula Azenha.

www.santosfilmfest.com

www.youtube.com/santosfilmfest

www.facebook.com/santosfilmfest 

www.instagram.com/santosfilmfest

Whatsapp para dúvidas sobre as inscrições: +55 13 99614-0963.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: