Turma da Mônica Laços – O Filme abrirá 4º Santos Film Fest – Festival Internacional de Filmes de Santos

A quarta edição do maior festival de cinema do litoral paulista acontecerá entre 26 de junho e 3 de julho em diversos locais da cidade (Cine Roxy 5, Cine Roxy 4, Cine Arte Posto 4, Museu da Imagem e do Som de Santos, Cinemateca de Santos, Sesc, Open House idiomas, Shopping Pátio Iporanga) praiana com programação gratuita. Na abertura, no Cine Roxy 5, tradicional cinema de rua com 85 anos de atuação, o evento receberá a pré-estreia do filme “Turma da Mônica: Laços”, com distribuição Paris Filmes e Downtown Filmes. Na ocasião estarão presentes os atores Giulia Benitte (Mônica), Kevin Vechiatto (Cebolinha), Laura Rauseo (Magali) e Gabriel Moreira (Cascão), bem como o diretor do longa, Daniel Rezende.

No filme que adapta a graphic novel escrita e desenhada pelos irmãos Vitor e Lu Cafaggi, Floquinho, o cachorro do Cebolinha (Kevin Vechiatto), desapareceu. O menino desenvolve então um plano infalível para resgatar o cãozinho, mas para isso vai precisar da ajuda de seus fiéis amigos Mônica (Giulia Benite), Magali (Laura Rauseo) e Cascão (Gabriel Moreira). Juntos, eles irão enfrentar grandes desafios e viver grandes aventuras para levar o cão de volta para casa. No elenco também estão Rodrigo Santoro, Monica Iozzi e Paulo Vilhena. A sessão, programada para 20h30, será para convidados, sorteados nas redes sociais do festival e contará com presenças de crianças de creches e escolas. O longa estreia nacionalmente no dia seguinte.

O diretor Daniel Rezende, indicado ao Oscar de Melhor Montagem por seu trabalho em “Cidade de Deus”, tem no currículo das montagens dos dois “Tropa de Elite” e “Robocop”, todos de José Padilha, “A Árvore da Vida”, de Terrence Malick, “360”, de Fernando Meirelles”, e dirigiu o excelente “Bingo”. Ele será homenageado pela sua trajetória relevante no audiovisual brasileiro recebendo o Troféu Luciano Quirino. A outorga leva o nome do ator santista cuja carreira tem mais de 30 anos e papeis de destaque no cinema, no teatro e na televisão.

Ainda no dia 26 de junho, mais cedo, por volta de 19h, será entregue uma Estrela da Calçada da Fama do Roxy a um importante artista santista, de forma surpresa.

O festival

Em um momento que o mundo vive uma crise política e social, o 4º SFF entende ser imprescindível refletir as relações humanas, promover o amor, a amizade, os bons sentimentos. Por isso, celebra os 40 anos do lançamento do filme “Hair”, de Milos Forman, e adota como tema “Deixe a Arte Entrar”, alusão à icônica canção deste musical, “Let the Sunshine In” (“Deixe o Sol Entrar” no Brasil). “A arte transforma, educa, melhora o ser humano, a sociedade. Vivemos tempos de radicalismos, confrontos, por isso é importantíssimo celebrarmos temas mostrados no filme, como a busca pela paz, pelo respeito às diferenças, pela liberdade”, afirma o diretor do festival, o crítico de cinema e produtor cultural André Azenha. “O cinema, em sua diversidade e encantamento, tem poder imensurável em instigar a reflexão, em expandir nossa percepção de mundo e sociedade”, ressalta a diretora do festival Paula Azenha.

Mostra competitiva

A mostra competitiva acontecerá no Cine Roxy 5 e no Cine Roxy 4 do Pátio Iporanga. Serão entregues prêmios do júri de melhor curta e melhor longa, prêmios do voto popular, de melhor curta e melhor longa, menção honrosa melhor filme Baixada Santista. O nome do troféu é Toninho Campos, referência ao proprietário da rede Cine Roxy, que tem 85 anos de atuação completados em março deste ano.

Os longas e curtas-metragens são:

Longas-metragens

“A Roda da Vida”, de William Alves e Zefel Coff (DF),
Bando, um filme de:”, de Lázaro Ramos; Thiago Gomes (BA)
“Eduardo Galeano Vagamundo”, de Felipe Nepomuceno (RJ)
“O Coringa do Cinema”, de Sérgio Kieling (SP)
“O Imperfeccionista – Ian Guest”, de Marcello Nicolato (MG)
“Rogéria, Senhor Astolfo Barroso Pinto”, de Pedro Gui (RJ)
“Salustianos”, de Tiago Leitão (PE)

Curtas-metragens

“Admirável Mundo Destro”, de Luiza Leal, Alagoas
“As Balas que Não Dei ao Meu Filho”, de Thiago Gomes, Salvador (BA)
“Cinquenta – Brevíssima História das Nossas Gentes Contada por Algumas Lentes”, de Gilson de Melo Barros, Santos (SP)
“Nossa Terra”, de Samuel Moreira (SC)
“Primavera de Fernanda”, de Débora Zanatta, Estevan de la Fuente (PR)
“The Pink Panther Boite”, de Kauê Nunes Melo (SP)
“Um Café e Quatro Segundos”, de Cristiano Requião (RJ)

Agnès Varda e Mostra Humanidades

Não à toa, todo o material gráfico do festival traz representada a figura da cineasta belga radicada na França Agnès Varda (1928-2019), que faleceu este ano e foi pioneira em diversas formas no meio cinematográfico. Seus filmes focavam no realismo documental, ou formas não-ficcionais de mídia, mirando no feminismo e/ou em produzir críticas sociais em um estilo experimental. Filmes dela serão exibidos durante a programação, numa parceria do festival com a Cinemateca Francesa. Produções do país europeu como “Outsider” (2017), de Christophe Barratier, “Makala” (2017), de Emmanuel Gras, “Ernest e Celestine no Inverno”, de Julien Chheng e Jean-Christophe Roger, ganharão exibições na Mostra Humanidades, no Cine Arte Posto 4.

Neste espaço, ainda serão exibidos longas como “Tinta Bruta”, de Filipe Matzembacher e Marcio Reolon, “Temporada”, de André Novais Oliveira, “Lembro Mais dos Corvos”, de Gustavo Vinagre, de “Unicórnio”, de Eduardo Nunes, “Todos os Paulos do Mundo”, de Gustavo Ribeiro e Rodrigo de Oliveira, “Los Territórios”, de Ivan Granovsky, “Meu corpo é politico”, de Alice Riff, “A Juiza”, de Betsy West e Julie Cohen,  “Logo Ali – Africa do Sul”, de Beto Chaves e Leo Santos. Antes de cada longa-metragem, o público poderá conferir sempre um curta.

Julia Katherine, protagonista do filme “Lembro Mais dos Corvos”, estará presente na sessão, em 27 de junho. A exibição será precedida pelo curta “Tea For Two”, no qual ela é diretora e primeiro filme dirigido por uma pessoa trans a ser exibido comercialmente nos cinemas brasileiros.

Angela Zoé

Vencedora do prêmio da crítica no 3º Santos Film Fest por “Henfil”, a diretora ganhará uma retrospectiva de sua carreira nesta edição do festival. Serão exibidos, além de “Henfil”, “Meu Nome é Jacque”, “Betinho – A Esperança Equilibrista”, todos no Cine Arte e, no encerramento no Roxy 5, “Ele Era Assim: Ary Barroso”,  que reúne somente imagens do artista falando em primeira pessoa. Para isso, foram recuperados negativos perdidos dentro de latas no acervo da Rádio Tupi. Ney Matogrosso participará do filme com um depoimento e interpretando a canção “Camisa amarela”.

Virada cinematográfica

Como mantém a tradição, o festival fará a Virada Cinematográfica com Café da Manhã outra vez na Cinemateca de Santos, com o tema “Ninjas vs. Samurais”.

Programação formativa

Além das exibições de filmes, o Santos Film Fest busca estimular a reflexão e a produção audiovisual com oficinas formativas e bate-papos.

Em 27 de junho, uma quinta, 15h30, no Sesc Santos, acontece o encontro “A Arte da Atuação”, com os experientes atores Ondina Clais e Luciano Quirino, que atuam há décadas em papéis de destaque no cinema, no teatro e na televisão.

Em 30 de junho, das 15h30 às 18h30, acontece o workshop “Produção e direção de filmes independentes”, com o premiado diretor Elder Fraga.

Ainda estão agendadas oficinas de Criação de roteiro e storytelling, com Bruna Berthond, Marketing Digital, com a equipe da Selo Criativo, crítica de cinema, com André Azenha, todas na Open House idiomas, e um importante debate com a diretora executiva da SPCine, Malu Andrade, que abordará o fomento ao audiovisual, em local a ser confirmado.

Rodrigo Bernardo

O diretor santista, recentemente escolhido para comandar a adaptação para os cinemas do herói japonês Jaspion, é membro da Academia Internacional do Emmy, criou as duas temporadas da série “(Des)Encontros”, exibidas no canal Sony. No cinema, é dele o filme “Talvez uma história de amor”, com Mateus Solano. Ele conversará com o público no sábado, 29 de junho, 16h, no Roxy 4 Pátio Iporanga e abordará sua trajetória e seus futuros trabalhos, como a cinebiografia da banda Charlie Brown Jr.. Uma forma do festival celebrar um dos principais cineastas brasileiros da atualizada, e santista.

80 anos do Batman

A exposição “Batman – 80 anos: Trajetória do Homem-Morcego nas telonas – Uma homenagem de fãs” será inaugurada no Museu da Imagem e do Som de Santos em 28 de junho. O lançamento da mostra terá início 19h. Depois, 20h30, acontecerá um bate-papo com especialistas no personagem: o crítico de cinema curador da exposição e organizador do festival, André Azenha, o cineasta Elvis DelBagno (diretor do fan film de longa-metragem “Um Conto de Batman: Na Psicose do Ventríloquo”), o quadrinista Denis Dym Freitas e o organizador da Santos Comic Expo, Fabio Gomes Ribeiro. Durante a noite, a equipe da Mosh Escola de Arte produzirá sketches (artes de personagens) gratuitamente para o público. E, na virada de sábado para domingo, a partir de 0h, acontecerá uma virada cinematográfica nerd com café da manhã ao término das projeções, na manhã do dia 29 de junho. A noite terá presença do Batman Personagem Vivo e outros heróis e vilões do bat-universo.

Pátio Iporanga

Buscando atingir todos os públicos, inclusive o infantil, o festival programou diversas ações. No Shopping Pátio Iporanga, em 29 de junho, 15h, será lançada a exposição “Uma Viagem Pelos Personagens de Filmes Infantis”, que terá artes feitas pela equipe da Mosh Escola de Arte, e itens colecionáveis. Nesta mesma tarde, cosplayers da Festa Encantada, do projeto Superamigos e do fã clube Star Wars receberão o público, que poderá tirar fotos com personagens como Princesas Disney, super-heróis diversos, e Star Wars. Haverá um Cantinho da Leitura, com mais de mil gibis da Turma da Mônica cedidos pela Maurício de Sousa Produções ao festival. Este espaço funcionará até o término do festival. Ainda no sábado, 29, às 16h, tem início um curso de desenho de personagens infantis com Denis Dym Freitas. O curso acontece sábado e domingo (30), das 16h às 19h. No domingo, 15h, acontece no Cantinho da Leitura espetáculo de Contação de Histórias com Camila Genaro. E, no dia 30 às 19h, na Praça de Alimentação, tem The Classics.

Grandes Interpretações do Cinema Nacional

Já na segunda, 1º de julho, 19h30, o crítico de cinema Waldemar Lopes lança o livreto “Grandes Interpretações do Cinema Brasileiro”, no primeiro piso do Shopping Pátio Iporanga. A obra é uma coletânea de textos sobre as grandes atuações como Sonia Braga em “Dona Flor e seus Dois Maridos”, Wagner Moura em “Tropa de Elite” e muitas outras. Com um texto delicioso, Waldemar traz curiosidades, informação e visão crítica dessas obras. O livreto será distribuído gratuitamente, por ordem de chegada, e tem tiragem limitada.

Em breve o festival divulgará mais detalhes da programação, como os horários dos filmes.

4º Santos Film fest é realizado por CineZen Cultural. Tem Co-realização da Prefeitura do Santos e parceria do Cine Roxy. Possui apoios institucionais de TV Tribuna (afiliada Rede Globo), Paris Filmes, Ibis Valongo, Shopping Pátio Iporanga, Sesc Santos, Shake Burger, Orvalho Filmes e Universidade Católica de Santos. E conta com apoio de Maurício de Sousa Produções, Open House Idiomas, Vitrine Filmes, Videocamp, Beduíno, Padaria Nova Princesa, Cinemateca de Santos, Babbo Américo, Lorient, Mosh Escola de Arte, Festa Encantada, Superamigos, Bomfim, Associação dos Artistas, Selo Criativo, Institut Français, Cinemateca Francesa, Ambassade de France e Consulado Sueco. A direção é de André Azenha e Paula Azenha.

Outras informações: www.santosfilmfest.comwww.facebook.com/santosfilmfest.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: